sábado, 15 de junho de 2019


Uma propaganda compartilhada na última quinta-feira (13) em redes sociais do Ministério da Educação vem gerando balbúrdia. O anúncio, que divulga o último dia de inscrições para concorrer a bolsas que dão 50% ou 100% para cursos de uma instituição privada, foi acusado de racismo na internet, por retratar um aluno que entra na faculdade negro e sai branco quando diplomado --o auge dessa primeira etapa universitária, portanto.

A mulher que aparece apontando para o tão almejado diploma é negra. Já a mão que segura o canudo, branca.

Três reações no Twitter ganharam destaque na enxurrada de respostas críticas à peça publicitária. Uma delas diz: "Ganhe um diploma e troque a cor da pele". A outra: "Opa, MEC racista: tá tendo". Há ainda uma montagem em que a mão com o canudo está com o dedo do meio em riste.

O estranhamento se segue no Instagram, em que uma conta replicou no post: "Não entendi. A gente entra preta e sai branca da faculdade? Oi?". Outra logo abaixo comentou: "Propaganda racista do governo federal choca zero pessoas".

Questionado pela Folha, o MEC afirmou por meio de sua assessoria que as peças produzidas "seguem a minha linha publicitária" do resto da campanha. Um ator que protagoniza vídeo sobre o prazo para pleitear uma bolsa do ProUni, por exemplo, é negro.

Fonte: Folha de São Paulo

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é monitorado por tanto cuidado com o que escreve.

CENTRO UNIVERSITÁRIO - UNINTA

CENTRO UNIVERSITÁRIO - UNINTA

APAE SOBRAL

APAE SOBRAL

2019.2

2019.2

AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E MARKETING

AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E MARKETING

:: Confira abaixo, as Mais Lidas da Semana ::